in

Lagoa do Congro: Um Tesouro Verde escondido nos Açores

São Miguel, conhecida como a “ilha verde” dos Açores, oferece uma escapadela serena longe dos centros urbanos e dos roteiros turísticos convencionais.

Entre as suas maravilhas naturais, destaca-se a encantadora Lagoa do Congro, um verdadeiro tesouro verde oculto nas profundezas da floresta no concelho de Vila Franca do Campo.

Apesar de não ter a fama de algumas lagoas, a Lagoa do Congro compensa num cenário único, ainda mais por ser menos acessível. Os tons exuberantes de verde surgem como se estivéssemos num cenário de conto de fadas.

Longe das multidões de turistas, o único som que quebra o silêncio é o vento suave entre as árvores. Com o formato circular distinto, a lagoa é considerada uma das mais belas de São Miguel, atingindo a profundidade de 16 metros.

Ao contrário de outras lagoas vulcânicas, a Lagoa do Congro fica numa área plana, envolta por vegetação exuberante, dentro de uma espécie de buraco natural.

Este esconderijo natural está situado no maciço vulcânico da Achada das Furnas, parte de uma das regiões sísmicas mais ativas dos Açores, os vulcões do Fogo e das Furnas.

O nome é uma homenagem ao antigo proprietário, André Gonçalves Sampaio, conhecido como “O Cogro”, em referência a um peixe de águas profundas. Ao longo dos anos, foram acrescentadas centenas de plantas exóticas à área, incluindo eucaliptos, azáleas, hortênsias e loureiros dos Açores, enriquecendo a biodiversidade local.

Além da flora exuberante, a lagoa abriga duas espécies no seu leito: a carpa, introduzida em 1890, e a perca.

Descobrir esse incrível tesouro escondido no coração da floresta requer uma caminhada de aproximadamente 700 metros a partir do estacionamento mais próximo, levando cerca de 15 minutos.